“A luta é de todos”, por Sérgio da Silva

Artigo sobre a greve mais forte da história da Novelis, que ocorreu este ano pela Campanha Salarial

Sérgio da Silva, durante a greve da Novelis pela Campanha Salarial

Sérgio da Silva, durante a greve da Novelis pela Campanha Salarial

Por Sérgio da Silva*

A união das pessoas é a ferramenta mais forte que existe. E a união do trabalhador da Novelis na greve da Campanha Salarial deste ano foi algo que eu nunca tinha visto. A Novelis parou.

Quando entramos para mais uma reunião, já às 23h, não se ouvia um barulho de máquina na usina. O silêncio das máquinas foi o que conquistou a proposta. Foi naquele momento que a gente ganhou a greve.

Isso é mérito do trabalhador, que decidiu dar um basta. Um basta que estava preso na garganta há muito tempo.

Não foi um basta só do funcionário Novelis, não. Foi um basta de todos, porque o apoio dos terceiros foi muito importante para o sucesso do movimento.

Estão de parabéns. Trabalhadores da Novelis, da Penske e de todas as firmas que estão lá dentro. Podem ter certeza de que a luta de vocês também é a nossa luta.

A divisão quem cria é o patrão. Porque se for analisar, todo trabalhador sofre pressão, sofre com as más condições de trabalho, com o ritmo alucinante, com a falta de folgas.

Uns sofrem mais que os outros, mas todos sofrem. Por isso a luta tem que ser uma só.

O patrão sempre vai tentar nos levar para a competição. Muitas vezes coloca uns contra os outros. Isso é lucro pra ele.

Mas se cada um por a mão na consciência e perceber isso, vai ver que a luta é de todos. Mais uma vez, parabéns companheiros (as).

 

*Sérgio da Silva é dirigente sindical na Novelis e secretário de Finanças do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT/SP.