95% da base metalúrgica de Pinda já tem o acordo da Campanha Salarial

Ainda com a negociação do dissídio coletivo travada junto aos sindicatos patronais, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT já fechou o acordo da Campanha Salarial 2012 com 95% da base.

Até o momento, a CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) só foi assinada com o Grupo 2 (máquinas e eletrônicos) e com o setor de Fundição.

Segundo o presidente do sindicato, Renato Marcondes, o “Mamão”, com mobilizações, paralisações e greves, os trabalhadores conseguiram arrancar o aumento salarial que os patrões não queriam dar e também conquistaram o abono.

“Nunca houve em Pinda tantos pagamentos de abono como este ano. Faltam apenas algumas empresas de pequeno porte para fazer o acordo. Além da greve da Confab que já entrou para a história da cidade, em outras fábricas como Alutent, Tecn-Serv e Minotauro, os trabalhadores fizeram pela primeira vez uma greve, sem contar as paralisações de uma, duas horas, realizadas em várias fábricas.”

Mamão parabenizou a diretoria do sindicato pelo resultado. “Parabenizo toda a direção pelo empenho e aos trabalhadores, que aderiram às mobilizações. É o sindicato avançando na organização da categoria. O balanço foi ótimo”, completou.

 

GERAL. No último levantamento preliminar da Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP), mais de 1.900 empresas de todos os setores da base da Federação no Estado já atenderam a reivindicação de aumento salarial de 8%.

Com a CCT do Grupo 2, assinada no último dia 13, foram beneficiados cerca de 181 mil metalúrgicos de todos os grupos patronais, ou seja, 90% de um total de 201 mil que estão em Campanha na base da FEM.

Ainda estão sem acordo cerca de 20 mil metalúrgicos. Com relação às bancadas dos Grupos 3, 8, 10 e Estamparia, a Federação continua as negociações, esperando chegar a um consenso.