28 de abril será dia de Greve Geral em Pinda e em todo o país

Sindicato dos Metalúrgicos explica a gravidade da Reforma Trabalhista, que está prestes a ser votada no Congresso

Ato unificado de diversos sindicatos no dia 25 de março - um “esquenta” da greve geral

Ato unificado de diversos sindicatos no dia 25 de março – um “esquenta” da greve geral

Na próxima sexta-feira, dia 28, irá ocorrer a Greve Geral, organizada pelas centrais sindicais, associações, sindicatos e movimentos sociais em todo o Brasil. Vários protestos já foram realizados como um “esquenta” para essa Greve Geral.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, haverá ações em Pinda e em várias cidades da região. Assim como outras entidades, o sindicato também orienta para que as pessoas nem saiam de casa para o trabalho, para a escola ou mesmo para fazer compras neste dia.

O objeto é barrar propostas do governo Michel Temer que causarão um “desastre” para os trabalhadores, que são a Reforma da Previdência, mesmo com as mudanças anunciadas, e a Reforma Trabalhista, considerada ainda mais grave.

Após uma manobra política, inclusive ferindo o regimento interno, a Câmara dos Deputados aprovou no dia 19 o regime de urgência para votação da Reforma Trabalhista (PL 6787/16), que está prestes a ser votada.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Herivelto Vela, essa medida vai “rasgar a CLT”.

“Vários direitos fundamentais poderão ser negociados em condições piores do que a CLT. Vai tirar limites de jornada de trabalho, vai aumentar os contratos temporários, vai dificultar muito para o trabalhador cobrar seus direitos na Justiça, vai permitir que gestantes trabalhem em áreas insalubres, vai acabar com as cotas de deficientes físicos nas contratações, e muitos outros retrocessos. Enfim, vai formalizar o bico”, disse.

Ao microfone, o presidente Herivelto Vela em um dos vários protestos feitos contra as reformas do governo Temer

Ao microfone, o presidente Herivelto Vela em um dos vários protestos feitos contra as reformas do governo Temer