1º de Maio também é dia de luta e reflexão

Foto Roberto Parizotti

Foto Roberto Parizotti

Além de promover a confraternização neste 1º de Maio, Dia do Trabalhador, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT também irá chamar os trabalhadores para um momento de reflexão durante os eventos que irão ocorrer em vários locais, de sexta-feira até domingo.

A celebração deste 1º de Maio acontece em uma conjuntura bem diferente dos últimos anos, desta vez, com a classe trabalhadora sob ataques sem precedentes aos direitos trabalhistas.

No Legislativo, a recente aprovação do Projeto de Lei 4330 pela Câmara dos Deputados, amplia a terceirização para todos os setores da empresa e rebaixa salários, direitos e conquistas.

No Executivo, as Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665, que dificultam o acesso a abono salarial, seguro desemprego e auxílio doença.

A CUT, a CTB, a Intersindical e vários movimentos populares vão realizar atos unificados em todo o país. Em São Paulo, a concentração será no Vale do Anhangabaú, onde haverá ato ecumênico, ato político-cultural e programação de shows. O ato será realizado “Em Defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora, da Democracia, da Petrobrás e da Reforma Política”.

História

O 1º de Maio foi criado para homenagear aqueles que morreram durante a greve geral de 1º de maio de 1886, em Chicago, nos Estados Unidos. Eles reivindicavam redução da jornada de 13 para 8 horas diárias, além de melhores salários, o DSR e as férias anuais. Os grevistas de Chicago foram duramente reprimidos pela polícia e seus principais líderes sindicalistas condenados à forca.